segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

"Gosto dos restaurantes à beira-mar quando acordamos às quatro da tarde e somos os últimos a almoçar ou os primeiros a jantar, nunca fica esclarecido. De preferência no inverno. Gosto de ti quando tens fome, tanta fome que nem sequer reparas em mim. Gosto de ver o turno dos empregados a mudar. Gosto que eles nos odeiem pelo grau a que levamos o processo de os empatar. É difícil distinguir a sacanice da ingenuidade."

Miguel Esteves Cardoso, O amor é fodido.

1 comentário:

PMO disse...

Marta the Mike: que citação mais interessante! Um dia destes uso esta tua brilhante ideia e coloco lá no meu (também teu) blogue! Adorei! Sobretudo porque, não sendo um praticante do processo de empata empregados, adoro um restaurante à beira-mar e sêr o último a sair de lá! Tão boas recordações que isso me trás!!!
Depois, não sei se por sacanice ou ingenuidade, adoro o sabor de um bom prato! Sou capaz de, por segundos, me emaranhar só na comida, mas sei que ela tem muito do sabor da companhia que nos faz apreciá-la...e logo logo a atenção vai para aquele conjunto perfeito, a simbiose perfeita, de restaurante à beira-mat, companhia and a wonderful meal! É mesmo assim que sinto! E sinto-o em qualquer estação do ano, embora a beira-mar me pareça sempre mais imponente no Outono, Primavera e Inverno. Que falta me faz sempre o raio do mar! Se não o vejo, tenho que o cheirar! Talvez por isso Esposende me diga muito!
Para terminar tão longa conversa (contigo), acho delicioso o "amor ser fodido"...
Beijaço